Data: 15/09/2021 15:46 / Autor: Redação / Fonte: ACSP

ACSP quer estimular a migração de startups para o centro histórico da capital

Novo espaço Pateo 76 dá o pontapé inicial para um novo olhar direcionado ao centro de SP


Crédito: Daniela Ortiz / Divulgação / ACSP

O recém-inaugurado Pateo 76, criado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), por meio de seu Conselho de Inovação (Conin), materializa o novo momento da entidade e nasce com a vocação de vertente e conexão de projetos e ações. “O Pateo 76 foi idealizado para que as startups usem o local para exponencializar seus trabalhos, fortalecidos pela tradição, inovação e inteligência competitiva que a instituição pode oferecer”, destaca Alessandra Andrade, coordenadora do Conin e vice-presidente da ACSP.

Localizado na rua Boa Vista, 76, ao lado do Pateo do Collegio, conta com salas em diferentes formatos para reuniões, estações de trabalho integradas, estúdio de gravação e equipamentos de alta tecnologia e conectividade, fornecendo todo o suporte que as empresas necessitam. O projeto é realizado em parceria com SEBRAE-SP, Ade Sampa, Oasis Lab e Bossanova Investimentos.

Centro histórico de SP pode ser novo pólo das startups

“Faltava em São Paulo um agente conector, que impulsiona as startups, mas ao mesmo tempo constrói as relações que esses empreendedores precisam com os demais atores desse ecossistema. Queremos também despertar um novo olhar para o centro histórico da capital e todo o seu potencial para ser território tecnológico, contemporâneo, o novo pólo das startups”, analisa Alessandra.

Com os pés no futuro mas mantendo o forte alicerce da tradição, o Conselho de Inovação da Associação Comercial de São Paulo também lançou, no início do segundo semestre, o programa de impulsionamento de startups Ac boost. Nos próximos dias, as startups selecionadas pelo programa serão divulgadas, e contarão com ferramentas e oportunidades para que o empreendimento cresça de forma saudável.

“Entendemos que o sucesso das startups precisa de diferentes tipos de capital e não apenas recursos financeiros. Por isso, nosso programa é formatado em trilhas, que são indicadas para os diferentes momentos de cada startup, incluindo: governança, growth, tecnologia, mercado, entre outras. Adicionalmente, as startups aprovadas no programa são orientadas para captação do investimento mais adequado ao seu momento, seja através de investimento direto da ACSP, captação junto aos nossos parceiros ou um investimento conjunto”, explica Alessandra Andrade.

O corpo de conselheiros do Conin é composto por Ivan Hussni, Aline Cardoso, João Kepler, Fernando Seabra, entre outros. Tânia Gomes Luz, que é ex-vice-presidente da ABSTARTUPS, conselheira de inovação e especialista em Digital Branding, foi escolhida pelo Conin para ser a Head do Ac boost.

Comente aqui