Data: 21/10/2021 09:30 / Autor: Iara S. Luz / Fonte: PMD

Patrus Ananias participa da Semana Municipal de Alimentação de Diadema

Deputado federal diz que o direito à alimentação é pressuposto de soberania nacional


Crédito: Igor Andrade

O deputado federal, Patrus Ananias, e ex-ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, do Governo Lula, disse em Diadema, que defender o direito à alimentação saudável e a segurança alimentar é pressuposto de soberania nacional.

Ele participou ontem (19/10), à noite, no Teatro Clara Nunes, da mesa de conversa “Os Avanços e Perspectivas da Política de Segurança Alimentar e Nutricional”, atividade que integra a Semana Municipal da Alimentação de Diadema. A Semana acontece na cidade desde o dia 14 de outubro e se encerra neste sábado, 23 de outubro.

Também participaram da mesa o prefeito de Diadema José de Filippi Júnior, o secretário municipal de Segurança Alimentar Gel Antônio, o presidente da Câmara Josa Queiroz e a presidente do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de Diadema (CONSEAD), Maria Aparecida Flaviano.

Patrus que conduziu, em 2004, a implementação do Programa Bolsa Família e também comandou o Ministério Desenvolvimento Agrário, (2015/2019), começou falando sobre a importância da segurança alimentar na vida das pessoas e o quanto ela significa como sobrevivência e cidadania. “A alimentação é um direito a vida, e é dever do estado garantir a todos o acesso à alimentação saudável e a segurança alimentar. Ela é porta de entrada para outros direitos como: o da educação, da saúde, ao trabalho, à moradia e o direito à vida”. E complementou: “De barriga vazia ninguém pensa, ninguém vive. Sem alimentação saudável ninguém tem direito a saúde”, disse.

O deputado também chamou atenção para o desmanche do sistema de segurança alimentar e nutricional que está acontecendo no país e da necessidade de reconstrução dos programas que foram implantados em governos passados. “É inaceitável que 20 milhões de brasileiros e brasileiras estejam passando fome e a metade da população, mais de 100 milhões de pessoas, vivem em situação de insegurança alimentar”, disse.

Para Patrus outra coisa inadmissível é ver o potencial do país ser jogado fora em razão de interesses estrangeiros e da elite nacional “O Brasil é um país continental, rico, tem as maiores reservas hídricas do mundo e pode produzir alimentos o ano inteiro”, asseverou.

Apontando para a situação de incerteza que as pessoas vivem hoje no Brasil, ele disse que é tarefa fundamental, de todos, lutar pela alimentação saudável. “O direito à alimentação saudável tem que ser permanente. Temos que colocar a soberania alimentar como pressuposto de soberania nacional”. E completou: “Nos constituímos, iniciativa do nosso mandato, no Congresso Nacional, a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Soberania Nacional.  E nos entendemos que um país soberano, como queremos que ele seja, ele cuida em primeiro lugar do seu povo”.

Bolsa Família e Fome Zero - Durante a sua fala o deputado também referiu-se aos  programas Fome Zero e Bolsa Família, ações que comandou quando foi ministro de estado, por duas vezes, e que ajudaram a tirar o Brasil do Mapa da Fome. “Os dois programas ganharam o mundo. Em encontros internacionais que participei, duas expressões em português tornaram universais: Bolsa Família e Fome Zero”. 

Sobre o Bolsa Família ele disse, ainda, “que o atual desgoverno federal quer destruir o Programa e colocar no seu lugar o Auxílio Brasil, uma coisa que ninguém sabe o que é, e que nem ter recursos previstos para sua implantação”.  

Diadema e BH referências em segurança alimentar - Patrus Ananias também falou sobre a necessidade da integração das políticas públicas para garantir mais direitos e lembrou quando veio a Diadema, nos anos 2000, para inaugurar os restaurantes populares dos bairros Serraria e do Campanário.

Fez também um paralelo entre Belo Horizonte e Diadema, quando ele e José de Filippi, na década de 90, ocupavam cargos de prefeitos, e as duas cidades começaram a ser reconhecidas na área da segurança alimentar. “Eu implantei o primeiro restaurante popular em Belo Horizonte e você em Diadema começou as ações de segurança alimentar. Tivemos conquistas notáveis: implantações de restaurantes populares, bancos de alimento, compras direta da agricultura familiar, sacolões, tantas iniciativas bonitas que tornaram as duas cidades referências em segurança alimentar”, finalizou.

Reconstituição do CONSEAD – Na sua fala o secretário de Segurança Alimentar, Gel Antônio, relembrou que as politicas de segurança alimentar, em Diadema, não começaram agora e que o objetivo é melhorar e ampliar os programas existentes. “As ações nessa área começaram na década de 80, com os sacolões municipais, pontos de economias e as compras comunitárias. Depois vieram o Banco de Alimentos, Restaurantes Populares, Programa de Educação Alimentar e Nutricional de Diadema (PEAND) e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), entre outros. Foi essa rede de programas que nos permitiu fazer o atendimento emergencial das pessoas na pandemia”, disse.

O prefeito José de Filippi Júnior reafirmou a necessidade de permanência dessas políticas, como forma de promover cidadania e justiça social, e disse que outras ações na segurança alimentar também foram realizadas desde que assumiu a prefeitura no começa de 2021. “Reorganizamos o Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de Diadema(CONSEAD), melhoramos o Banco de Alimentos e temos 40 hortas comunitárias na cidade. A Semana Municipal da Alimentação é importante porque ela reflete esse momento de tanta dificuldade que passa a população e nos vemos no Mato Grosso, a cidade de Cuiabá que tem 3 milhões de habitantes e o estado que 30 milhões de cabeça de gado, as pessoas tentando pegar ossos para se alimentarem. Então, nos temos que continuar com essas políticas de segurança alimentar e nutricional em Diadema”, concluiu.

O presidente da Câmara, Josa Queiroz, ressaltou, que enquanto o governo federal está desconstruindo as políticas públicas na área da segurança alimentar e nutricional do país, Diadema está agindo de forma contrária. “Nos últimos anos, em nossa cidade, essas políticas foram desarticuladas mas, agora, elas estão sendo retomadas e ampliadas”, afirmou.

Ainda durante o evento, no Teatro Clara Nunes, foi realizada uma homenagem as empresas e entidades parceiras do Banco de Alimentos, que receberam placas esculpidas em madeira. O evento também contou com as presenças de secretários municipais, vereadores e de pessoas atendidas pelo Banco.

Comente aqui