Data: 05/07/2021 13:04 / Autor: Redação / Fonte: CPS

App de alunas da Fatec Pinda entra em programa de aceleração

Projeto de startup foi selecionado pela Fundação Wadhwani e será analisado por especialistas


Solução pensada pelas estudantes é um aplicativo para facilitar o aluguel de eletrodomésticos e ferramentas
Solução pensada pelas estudantes é um aplicativo para facilitar o aluguel de eletrodomésticos e ferramentas

Crédito: freepick

O projeto de um aplicativo desenvolvido por duas estudantes da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Pindamonhangaba foi selecionado pela Fundação Wadhwani e vai passar por um processo de aceleração dentro do programa Next-Generation. O app SOS Rent More foi criado dentro do curso superior de tecnologia de Gestão de Negócios e Inovação

A ideia de criar o app veio de um desafio proposto na disciplina de Gestão e Prototipagem de Negócios. As estudantes Amanda Rodrigues, de 26 anos, e Tamiris do Nascimento Souza Moreira, de 33, precisavam identificar um problema que as pessoas enfrentam no dia a dia e propor uma solução. Tamiris, que ajuda o marido a produzir bolos para vender, se lembrou do problema que enfrentaram quando a batedeira deles quebrou e colocou em risco as (havia) encomendas. "Talvez, nessa situação,  a pessoa não tenha como sair para comprar uma batedeira nova", diz. "Então, alugar pode ser uma boa saída." Foi aí que surgiu a ideia de desenvolver um aplicativo para aluguel de eletrodomésticos e ferramentas.

O projeto, desde o princípio, contou com o incentivo da professora Eloísa de Moura Lopes. Doutora em Administração de Empresas, ela tem como foco de trabalho o empreendedorismo sustentável, a prototipagem e modelagem de negócios. "É uma ideia muito interessante porque pode gerar renda para quem tem equipamentos parados em casa", avalia a educadora, lembrando as dificuldades financeiras impostas à população pela pandemia de Covid-19. "Além disso, é uma proposta que evita o desperdício e diminui o lixo descartável."

Segundo Eloísa, o projeto está bem estruturado e já tem um protótipo. Agora, durante a participação no programa da Fundação Wadhwani, as alunas podem transformá-lo em uma startup e, quem sabe, conseguir investimento para tirar a ideia do papel.

Ao todo, serão 10 semanas de trabalho ao lado dos especialistas da organização não-governamental. Depois disso, quando estiverem no terceiro semestre do curso, as estudantes irão cursar Modelagem Financeira com Eloísa para dar seguimento ao projeto. As outras disciplinas do curso também vão ajudá-las a estruturar o aplicativo.

"Nossa expectativa é ter uma visão melhor do negócio e tira-lo do papel", afirma Amanda. Tamiris, inclusive, está estudando programação para dar vida ao projeto.

Comente aqui