Data: 14/07/2021 20:14 / Autor: Redação / Fonte: Prefeitura de Mauá

Enfrentamento à pandemia gera resultados positivos em Mauá

Média móvel mensal de óbitos caiu 75% entre março e junho, e a ocupação dos leitos de UTI registrou queda de 36% em quatro meses


Crédito: Roberto Mourão / Divulgação PMM

Com o enfrentamento à pandemia intensificado pela Prefeitura de Mauá, os efeitos positivos começam a aparecer na cidade. Em quatro meses, a média mensal de mortos caiu 75% e a ocupação dos leitos registrou queda de 36%.

O trabalho realizado pela gestão Marcelo Oliveira, desde janeiro de 2021, ampliou a capacidade de atendimento da rede e também deu início à campanha de vacinação, de maneira consciente e responsável, hoje uma das mais avançadas no público etário (entre os municípios da Grande São Paulo) e sem ter paralisado a campanha em nenhum momento por falta de doses.

No começo de 2021, com a onda de casos de Covid aumentando, a Prefeitura ampliou a capacidade de atendimento da rede. A quantidade total de leitos exclusivos para o tratamento da doença foi ampliado em 46% em relação a 2020, passando de 92 para 134 unidades.

O número é ainda maior, 253%, se for levado em consideração que na maior parte do ano passado Mauá contou com apenas 38 leitos direcionados exclusivamente para as internações decorrentes da contaminação por coronavírus – o hospital de campanha funcionou por pouco mais de três meses e com horário de funcionamento (das 7h às 19h) e os leitos existentes nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) à época não eram totalmente voltados para tratamento da Covid.

O hospital municipal chegou a 40 leitos de UTI e 30 de enfermaria. Além disso, o atual governo firmou convênio com a rede privada, mais especificamente com o Hospital Sagrada Família, para disponibilizar à população mais 20 leitos, sendo 10 de UTI e 10 de enfermaria.

Outro dado importante é que até 2020, as quatro UPAs de Mauá somavam 24 leitos de enfermaria para atendimento às mais diferentes doenças. Neste ano, além de reformular totalmente o setor, transformando os leitos destas unidades de pronto atendimento em estruturas de suporte ventilatório (preparadas para ofertar oxigênio a doentes diagnosticados com casos mais graves da Covid), a quantidade de leitos foi ampliada e destinada exclusivamente para tratamento da infecção por coronavírus. Hoje, há 44 leitos de suportes ventilatórios disponíveis à população, sendo 11 em cada UPA.

Mauá segue com as ações de restrição e a imunização em ritmo acelerado e, conforme o recebimento de doses, vem antecipando o calendário dos grupos prioritários. Na terça-feira (13/07), passaram a ser vacinadas pessoas com 34 anos. Na quinta-feira (15/07) terão vez aqueles com 33.

Desde 19 de janeiro, o município aplicou 237.966 mil vacinas, com cobertura de 56,1% entre o público-alvo da primeira dose (18 anos ou mais). A agilização da imunização tem sido um dos motivos para a queda na média mensal de mortos e também de ocupação dos leitos para internação. Entre março e junho de 2021, o número de óbitos caiu 75%, saindo de 219 para 55. E a tendência de queda permanece nessa primeira quinzena de julho.

Outro número importante está na queda em 36% na taxa de ocupação dos leitos de UTI. Em março de 2021 eram 42 leitos ocupados (de 45 disponíveis à época) e hoje são 15, de 50 disponíveis.

Comente aqui