Data: 29/07/2021 16:44 / Autor: Suzel Tunes / Fonte: PMSCS

Escolas de São Caetano retornam às aulas presenciais com atenção à saúde física e mental

O diálogo com alunos e pais tem sido uma das principais medidas adotadas pelas escolas para garantir um retorno tranquilo


Volta às aulas - adesivos no refeitório - EMEF Senador Fláquer
Volta às aulas - adesivos no refeitório - EMEF Senador Fláquer

Crédito: Divulgação /PMSCS

Terça-feira (3/8), a rede municipal de ensino de São Caetano do Sul retoma as aulas presenciais com os grupos 4 e 5 da Educação Infantil, Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) e com a EJA (Educação de Jovens e Adultos), seguindo o cronograma de retorno escalonado definido pela Secretaria de Educação.

No dia 9 de agosto também retornam presencialmente os alunos do Grupo 3 (3 anos de idade). “Em breve será divulgado o calendário de retorno presencial dos demais segmentos”, informa o secretário municipal de Educação, Fabricio Coutinho de Faria.

O retorno presencial não é obrigatório. Os alunos podem permanecer com as aulas online em casa. Mas aqueles que optarem por voltar à sala de aula encontrarão a escola preparada para recebê-los com todo o cuidado necessário à prevenção da covid-19 e, também, com otimismo e alegria.

Mensagens de esperança espalhadas pelas salas, atividades lúdicas para divertir com segurança e espaços de acolhimento a dúvidas e medos foram planejados para receber as crianças.

“Notamos que vários alunos que retornaram presencialmente em junho e julho chegaram ansiosos e temerosos. Decidimos, então, continuar recebendo as crianças com os cuidados necessários, mas, também, com mais leveza”, conta a educadora Marselli Borges de Oliveira Gonçalves, vice-diretora da EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Luiz Olinto Tortorello, no Bairro Cerâmica.

Nessa escola, por exemplo, as fitas de segurança isolando as carteiras que não podem ser ocupadas (para garantir o distanciamento entre os alunos) foram substituídas por cartões com mensagens positivas. Em vez de um opressivo “xis” nas carteiras, os alunos encontrarão frases como “Seja feliz”.

Na hora do intervalo, serão propostas brincadeiras populares (como “estátua” ou bambolê), que possam entreter e estimular a socialização preservando o distanciamento entre as crianças.

DIÁLOGO E ACOLHIMENTO

“Elaboramos ações distintas capazes de abranger os aspectos socioemocionais, pedagógicos e os protocolos de segurança”, diz o professor Edgar Casado, diretor da EMEFM (Escola Municipal de Ensino Fundamental e Médio) Arquiteto Oscar Niemeyer.

“Em um primeiro momento, convidaremos representantes das famílias para conhecerem as medidas adotadas nesse período e como funcionará a dinâmica. A equipe gestora apresentará as propostas para a conclusão do período letivo, o ensino híbrido, as transmissões das aulas ao vivo, quais ajustes e quais aspectos serão necessários para garantir o clima favorável para a aprendizagem”, relata o diretor.

De acordo com Casado, duas atividades serão realizadas com as turmas do Ensino Fundamental e Médio: a “Caixinha de Dúvidas”, para que os alunos, anonimamente, sugiram dúvidas e temas para serem abordados em grupos de discussão, e a “Árvore dos Sonhos”, na qual eles irão fixar expectativas e projetos para o futuro. Haverá, também, um dia especial para os alunos irem à escola com fantasias.

O diálogo com alunos e pais tem sido uma das principais medidas adotadas pelas escolas para garantir um retorno tranquilo e seguro. Na EMEF Ângelo Raphael Pellegrino, cerca de 68% dos pais e responsáveis pelos alunos do Fundamental I e II optaram pelo retorno presencial – em turmas alternadas para garantir a capacidade máxima permitida de 35% em sala de aula.

“Agora, com a mudança para 50%, com certeza este número vai aumentar, tendo em vista a procura dos responsáveis pela escola para realizar a mudança de opção do ensino remoto para presencial”, diz a diretora Alessandra de Siqueira. Mas para fazer a opção entre ensino remoto ou presencial, não basta preencher o questionário online; na Pellegrino os pais são convidados a ir à escola, para conhecerem detalhadamente as regras do retorno presencial.

RETORNO FESTIVO

Na centenária EMEF Senador Fláquer, no Bairro Fundação, o retorno será festivo desde a entrada da escola.  “Um dos momentos de maior preocupação dos pais é a entrada escolar. Devido ao tempo em que as crianças ficaram em casa, algumas choram e não querem entrar. Pensando nisso, no retorno presencial em junho fizemos a recepção dos alunos com o portão todo decorado, música e os bonecos dos ´Bananas de Pijamas´”, lembra o diretor Tiago Luiz de Araújo. “Deu muito certo, as crianças se sentiram seguras e felizes desde o início”, diz Tiago.

Para o retorno do dia 3, a recepção dos alunos será feita pela turma do Sítio do Picapau Amarelo. Os personagens de Monteiro Lobato, como Emília, Marquês de Rabicó e Cuca, vão alegrar a volta às aulas. Uma vez que passem pelo portão, os alunos encontrarão a escola com painéis de boas-vindas e mensagens de incentivo.

ATENDIMENTO ESPECIALIZADO

Para a coordenadora do Programa Saúde na Escola, Christiane Laporta Minciotti, estamos vivendo um momento muito delicado, com muitos sentimentos envolvidos, que devem ser acolhidos com atenção e cuidado.

“Nossas crianças passaram por experiências de luto próximas a elas, de familiares, amigos e pessoas conhecidas, e as perdas vividas precisam ser tratadas de maneira especial. Além disso, as mudanças de rotina que ocorreram, em suas vidas e na vida dos pais, irão novamente se transformar”, considera Christiane.

Segundo a coordenadora, que também é especialista em Saúde da Família, a melhor forma de acolher os alunos é ajudá-los a lidar com os próprios sentimentos, por meio de momentos de conversa, de escuta individual e coletiva. “Não minimizando os sentimentos das crianças e zelando pela segurança e pela saúde dentro da escola, o que trará para eles também mais confiança e segurança”, complementa.

Christiane destaca que, nos casos em que o medo se torne algo patológico, é importante a parceria com os serviços de saúde na atenção especializada. Em São Caetano do Sul, a USCA (Unidade de Saúde da Criança e do Adolescente) conta com psicólogos, psiquiatras, psicopedagogos e terapeuta ocupacional, entre outros profissionais, para atender crianças e adolescentes de 0 a 18 anos de idade.

Preparação de Volta ás Aulas EMEF Luiz Olinto Tortorello
Preparação de Volta ás Aulas EMEF Luiz Olinto Tortorello

Crédito: Letícia Teixiera

Comente aqui